Aprenda mais sobre: Alinhamento, Balanceamento e Rodizio de Pneus

1. Alinhamento de direção (Suspensão dianteira):

O desgaste desse item é lento e vai progredindo aos poucos, o que faz, muitas vezes, o motorista não notar a diferença.

Como notar isso?

Freios: um funcionamento errado do sistema de frenagem do seu carro pode causar problemas na direção ou até mesmo aumentar a distância de frenagem, o que significa um risco. Isso sem falar no desgaste acentuado dos pneus. Você pode verificar os freios durante o seu uso, analisando como eles estão respondendo.

Carga pesada: se o peso da carga que está no seu veículo for maior do que a recomendação de fábrica ou se não estiver distribuído uniformemente, isso irá forçar algumas peças responsáveis pela geometria da direção e do eixo traseiro. Na prática, seu carro vai acabar forçando mais o motor para rodar e pode comprometer o alinhamento e a geometria. Também vale lembrar que, quanto maior o peso que você carregar, maior será o consumo de combustível.

Volante duro: se você sentir que o volante do carro está mais duro que o normal, pode ser sinal de que a direção não está alinhada. Vale salientar também que isso força o desgaste das peças, diminuindo o desempenho do veículo na cidade e na estrada.

Desempenho: falando em estrada, um bom teste de verificação da direção do veículo e do seu alinhamento é quando você tira as mãos do volante numa reta. Se o carro pender para qualquer lado que seja, isso significa que o carro está desalinhado.

2. Balanceamento e Geometria:

Quando o volante está trepidando a velocidades acima dos 50 km/h, significa que o seu carro está com problemas de balanceamento. Esse é um problema muito comum nas cidades e, principalmente, nas zonas rurais, onde o carro passa por muitos buracos.

3. Rodízio de pneus:

Pneus “carecas” significam problemas, pois em dias de chuva, o seu carro pode acabar rodando nas estradas. A lei exige que as ranhuras do pneu tenham pelo menos 1,6 mm de distância do piso, a fim de gerar “calhas” por onde água na pista possa escoar. Também lembramos que é necessário verificar se existem pedras, saibro, pregos ou parafusos no pneu e se ele não perde pressão após retirá-los. As ruas e estradas brasileiras são grandes vilãs dos motoristas, com seus buracos e suas irregularidades. Por isso, é difícil manter o balanceamento e o alinhamento dos pneus, sendo necessário fazê-los constantemente.

Os procedimentos devem ser realizados por, pelo menos, a cada 10 mil quilômetros. Pra saber se o carro está desalinhado, basta fazer um teste em uma rua vazia, acelerando até 60 km/h. Se o carro puxar mais para um dos lados, é porque está desalinhado. Caso a direção esteja vibrando, pode ser um indicativo de que as rodas estejam desalinhadas. E, finalmente, mantenha-os calibrados. A recomendação é calibrar a cada 15 dias, incluindo o estepe. No momento da calibragem “Um dia colocar 2 ou 3 libras a mais no pneu reserva, de forma a não ser surpreendido com um pneu murcho no momento de uma emergência”.

Escrito por: Juliana Barros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s