HISTÓRIA DO 1979 VOLKSWAGEN PASSAT LS (1ª Geração)

A história do Passat começa bem antes do seu lançamento. No fim dos anos 60, a VW adquiriu a NSU (Neckarsulm Strickmaschinen Union), fábrica também alemã. Com a compra desta montadora, a VW assumiu um projeto que a NSU possuía para substituir seu moderno modelo RO 80, criando o K70, sedã de tração e motor dianteiro refrigerado à água, algo ainda inédito para a VW. Porém, o modelo não obteve um bom número de vendas e a VW precisava de um novo sedã médio.

A Audi, já incorporada ao grupo VW, produzia um carro médio, 3 volumes, de linhas mais harmoniosas que K70. Este era o Audi 80. A VW, então, entregou a Giorgio Giugiaro, um dos mais conhecidos designers de automóveis do mundo, a missão de modificar o desenho do Audi 80 para que a própria VW produzisse um modelo feito sob a mesma plataforma. Giugiaro modificou a parte traseira da carroceria, criando um fastback. E assim surgiu o Passat. O nome, assim como Bora, Scirocco e Santana, é de um vento que sopra na Europa (neste caso, de leste para oeste), dando ideia de velocidade. Em 1973 o Passat chegava ao mercado alemão, iniciando sua história de sucesso.

Em junho de 1974, apenas um ano após o lançamento na Alemanha, o Passat chegava ao Brasil. Inicialmente foram oferecidos apenas com duas portas, nas versões básicas, L (Luxo) e LS (Luxo Super). Refrigerado a água, tração dianteira, estrutura monobloco (que até então só existia na Kombi), o Passat ia de encontro a todas as características básicas dos VW brasileiros até então. O circuito de freios, por exemplo, atuava em sistema duplo diagonal. Caso um dos sistemas falhasse, uma roda de cada eixo (em lados opostos) ainda se manteria funcionando, evitando a perda dos freios do mesmo eixo. O motor 1.5, única opção, proporcionava 65 cavalos de potência.

A versão de 3 portas foi lançada também em 76, nas versões L e LS. Com uma enorme tampa traseira e possibilidade de rebater o banco traseiro, o Passat tinha sua capacidade de carga aumentada para 610 litros (até a borda inferior do vidro traseiro) ou 1010 litros (até o teto).

A primeira ré estilização ocorreu em 1979, a Volkswagen decidiu abandonar os faróis redondos pelos faróis retangulares seguindo a tendência do Audi 80 lançado nos anos de 1976. Neste modelo as setas passaram dos para-choques para as extremidades dos faróis, os para-choques ganharam ponteiras de plástico, característica da época, o volante sofreu uma redução no seu diâmetro e o estofamento dos bancos foi alterado.

Escrito por: Juliana Barros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s