QUERO TER UM CARRO ANTIGO! BOM INVESTIMENTO E DIVERSÃO GARANTIDA

Os carros são parte da história da humanidade!

Primeiro de tudo, carro antigo não é carro velho! Os modelos antigos são aqueles que não são novos, já saíram de linha. No entanto, eles funcionam e têm valor, diferentemente dos velhos, que apresentam inúmeros problemas. Para um automóvel ser considerado antigo, ele deve ter, no mínimo, 30 anos.

Portanto, seja você um apaixonado por modelos antigos nacionais, como o Fusca, Opala e Maverick; fã dos opulentos modelos americanos das décadas de 1950 e 1960, como os Bel Airs, Cadillacs e Fairlanes; entusiasta dos Muscle Cars americanos como o Mustang, Camaro e Challenger; ou faz parte dos que amam carros europeus como Alfa Romeo e Mercedes, você precisa saber que esses carros precisam de cuidados e não podem apenas ficar na garagem.

A procura por carros antigos cresceu. Se você é uma das pessoas loucas para ter essas belezinhas para sair desfilando por aí procure a Barros Car Services. Há diversos motivos para ter um carro de coleção: a emoção de guiar um veículo que tem história, a identificação com o possante ou ainda a paixão por carros. Mas é preciso conhecer bem os custos para tornar esse desejo realidade e nós podemos te ajudar. A indústria automotiva inova todos os dias. Os carros cada vez chegam mais equipados, cheios de acessórios para facilitar a vida do motorista e para entreter os passageiros. Mas, quando um veículo clássico antigo passa, não tem como não acompanhar o rodar dos pneus suavemente com os olhos, não é mesmo?!

Os carros antigos são a menina dos olhos de muitos apaixonados por carros. Tem saudosismo e a história que só os anos tem o poder de acrescentar. Antigamente, era comum uma família ter apenas um automóvel: quando os irmãos chegavam aos 18 anos, era uma briga para ver quem ia dirigir. Ainda mais que naquele tempo era permitido fazer autoescola com carro próprio.

O interesse por carros antigos no Brasil é grande. Segundo a Federação Brasileira de Veículos Antigos (FBVA), apesar de não contar com nenhum museu formalmente constituído, o país conta com dezenas deles espalhados por todo seu território. As coleções vão desde acervos públicos até pessoais e enchem os olhos de quem gosta do assunto.

Eu e meu pai sempre fomos apaixonados por veículos antigos e ter uma coleção deles é um dos nossos objetivos de vida, enquanto não conseguimos realizar nosso sonho, fazemos por você. Por isso mesmo, decidimos elencar abaixo os motivos que nos faz admirar tanto esses automóveis. Aposto que muita gente irá se identificar com eles.

Com a eletrônica embarcada dos automóveis atuais, é muito mais fácil detectar um problema mecânico. Mas é cada vez mais complicado fazer um reparo de emergência usando um arame ou aprender mecânica de forma autodidata, concordam? Apliques plásticos ou em preto brilhante podem até ficar bonito nos carros atuais. Mas detalhes como os tetos de vinil e as grades e calotas cromadas em metal faziam toda a diferença. Sem contar as diversas opções de cores chamativas como o Laranja Boreal do Dodge Charger R/T ou o Verde Tropical da linha VW dos anos 1970. E ainda havia espaço para o revestimento imitando madeira na lateral das Ford Belina de 1ª geração.

Ter um veículo antigo na garagem é ter um bem valorizado como patrimônio e quanto mais conservado ele estiver, melhor será pra você. Você sempre será destaque por onde for. Os colecionadores fazem dos seus veículos verdadeiras obras de artes.

Estas dicas são exatamente para você, que quer comprar o primeiro carro antigo, mas não sabe como começar. O apelo sentimental é primordial para escolha, só não coloque esse sentimento acima de toda e qualquer racionalidade. Uma dúvida comum entre os compradores é: adquirir um carro para restaurar ou um que esteja em bom estado e que não precise arrumar muito além dos detalhes?

Vamos lá, primeiramente, fique atento ao histórico do veículo. A partir da sua placa de identificação é possível reconhecer se o carro sofreu alterações na cor interna ou externa, no acabamento, no motor, entre outros itens. O comprador deve procurar saber se o automóvel já foi batido e se não há problemas com a fiscalização. Certos dados podem ser difíceis de se obter até mesmo online. Dica: comprar revistas antigas e frequentar eventos de antigomobilismo são boas práticas para se informar. Os clubes, tanto de carros antigos quanto específicos de determinadas marcas ou modelos, podem ajudar muito. Nessas entidades, é possível não só obter informações técnicas, mas também estabelecer contato com pessoas mais entendidas. A troca de experiências entre os membros traz dicas valiosas.

Veículos fabricados em muita quantidade ou importados em grande volume costumam ter maior disponibilidade tanto de peças de reposição quanto de mão de obra especializada. Quanto mais original for o carro antigo (ou seja, sem muitas modificações), mais bem avaliado ele será. Quanto mais raro, mais caro! Leve tudo isso em consideração.

Procure por carros à venda em sites especializados, fóruns, leilões, carros que precisam ser restaurados geralmente são anunciados por valores bem mais baixos que veículos em bom estado. Porém, para quem não tem experiência no ramo do antigomobilismo, costuma ser mais vantajoso adquirir veículos que não exigem grandes intervenções, conte com a ajuda de mecânicos experientes, como Arthur Barros da Barros Car Services.

Quando se trata de carros antigos, os cuidados devem ser redobrados – e diferenciados.
Não é só o desgaste sofrido ao longo do tempo que influencia na atenção que deve ser dada a eles: o fato de que os veículos mudaram muito ao longo do tempo também faz com que a rotina de manutenção seja diferenciada.

Vamos falar um pouco sobre como deixar os possantes funcionando como novos e também como não cair naquela história de que é “só um consertinho”?! Os carros antigos que ainda não foram restaurados ou reformados, ainda que a aparência esteja boa, podem esconder segredos de muitos anos. Verificar a carroceria e o chassi: estes são uns dos itens mais relevantes (corrosão, ferrugem debaixo da pintura, vazamentos crônicos, tanque esfarelando, etc.) são todos problemas que vão se acumulando com o tempo, especialmente se o carro não foi guardado com o cuidado certo, se estiverem muito danificados, dificilmente poderão ser arrumados. Então, procure pontos, bolhas e marcas. Uma ou outra dá até para amenizar, mas lembre-se que nunca ficará perfeito.


Por isso, ainda que a tentação seja grande, não caia na história de que o carro precisa de pouco para rodar. Carros antigos são joias e trarão bons momentos para seus donos, mas eles precisam de muitos cuidados para continuarem funcionando como novos.

Se o carro já foi reformado ou restaurado, a história já começa a mudar um pouco. Quando o serviço é bem-feito, ele costuma estender bem a vida útil do veículo, além de deixá-lo finalmente com a mesma aparência do dia em que saiu da fábrica.

Você acha que essa história de esquentar o motor antes de dirigir é do tempo dos seus avós? Saiba que especialistas recomendam fazer isso até mesmo com veículos novos!
A razão está na mecânica do carro: o motor foi projetado para funcionar em uma temperatura específica. Portanto, seguir à risca esta instrução diminui o risco de danos e melhora o desempenho do carro. Outra prática que evita problemas no motor é revisar o carburador a cada 90 dias. Por mais raro que ele seja em nossos tempos de injeção elétrica, ele é vital para o funcionamento de carros mais antigos.

Encontrar bons fornecedores especializados ou que entendam de carros antigos como a Barros Car Services vai ajudar muito na tarefa. Alguns componentes como os amortecedores, por exemplo, podem ser encontrados pelo número de referência e até mesmo adaptados sem muitas modificações no veículo na maioria dos casos. Um mecânico de confiança também é uma mão na roda, não é mesmo Arthur Barros?!

Pneus e freios também têm a mesma vantagem. No caso dos pneus, como são fabricados em diversas medidas, acaba sendo mais fácil encontrar substitutos para os antigos do seu carro. Por questões de segurança, trocar os pneus periodicamente é um cuidado básico a ser tomado com qualquer veículo. Como carros antigos tendem a ficar muito tempo parados, é importante conferir se os pneus não estão baixos e, se estiverem, calibrá-los: pneus murchos podem deformar a cinta de metal interna. Não rode se os do seu carro estiverem expirados: mais ressecados, eles ficam mais suscetíveis a danos quando entram em contato com o asfalto. Cheque sempre a data, na lateral dos pneus.

Já os freios, como a maioria ainda era de lona, é possível retificá-los por muito tempo antes de fazer a substituição por um componente novo. Com o tempo, a lona de freio desses carros vai ficando gasta, e a troca é inevitável. Quando se trata de modelos antigos, a atenção com o assunto deve ser redobrada. Entre os cuidados com o carro para evitar o desgaste dos freios, também está uma direção mais suave. A direção hidráulica, que proporciona grande conforto na hora de dirigir e, principalmente, estacionar, não é algo novo. Ela foi inventada na década de 30 do século passado, nos Estados Unidos, e chegou ao Brasil em 1967, com o Ford Galaxie. Contudo, nessa época, ela estava longe de ser comum como é hoje: era, na verdade, um adicional de luxo em veículos maiores. Além disso, ela passou por várias mudanças até chegar no estágio em que se encontra hoje. A principal diferença é que a direção dos carros que saem de fábrica hoje mascara todo o esforço feito pelo veículo em manobras nos quais ele está parado. Acredite, elas causam um grande stress sobre toda a estrutura! Como, com carros clássicos, todo o cuidado é pouco, evite fazer tais manobras com a sua preciosa relíquia. Quando for manobrar ou tiver que girar o volante por qualquer motivo, procure fazê-lo com o carro em movimento. Além disso, ao dirigir, troque as marchas devagar e não pise fundo no acelerador. Isso também colabora na prevenção ao desgaste. As brecadas bruscas são péssimas para a estrutura do veículo como um todo!

Carro foi feito para ser usado e isso não é nem um pouco diferente para os carros antigos. Não importa o quão bem cuidados estão, é preciso colocá-los para funcionar regularmente e garantir que tudo está em ordem. Por isso, se você tem um ou mais carros antigos, tente utilizá-los em passeios algumas vezes na semana ou durante os fins de semana. Diariamente, vale a pena deixá-los funcionando por um tempo (o famoso “dar uma esquentada no carro”). Isso também vai ajudar a bateria a ficar sempre carregada. A bateria dos carros pode gerar muita dor de cabeça: mesmo quando o veículo está parado, ela pode se esgotar. Isso acontece porque alguns itens a consomem independente de o veículo estar ligado ou não. É o caso do alarme. Por conta disso, todo dono de carro sabe que deixá-lo sem rodar por muito tempo pode render uma surpresa desagradável: sem bateria, ele não vai pegar. O mesmo se aplica aos carros relíquia. Portanto, tente ativar o motor do seu veículo, no mínimo, 1 vez por semana. Dar uma volta na quadra é suficiente para evitar problemas com a bateria. Vai ficar fora e não poderá tirar o carro da garagem? Então, desconecte os cabos da bateria. Isso deve ser feito sempre que o carro for passar mais de 2 semanas sem ser ligado. Nesse ponto, os carros antigos são como nós: quando velhinhos, se ficamos muito tempo sem realizar atividades físicas, os problemas começam a aparecer.


Há, também é importante conhecer a fundo o manual do proprietário para saber o momento certo das manutenções periódicas e também para tentar equiparar alguns componentes que mudaram sua composição com o tempo, como o óleo do motor (eventuais vazamentos: esses podem ser indicativos de que uma manutenção é necessária. A medição regular dos níveis de óleo deve estar em sua lista de cuidados com o carro) e o fluído dos freios. A lubrificação das peças de carros antigos pede ainda mais cuidado que a de carros novos. Além da dificuldade em encontrar peças de reposição, elas podem custar uma pequena fortuna!

É preciso tratar os veículos antigos com muito respeito. Não adianta seguir todos os cuidados que citamos acima se, ao trafegar com o carro, o motorista ultrapassa todos os limites do veículo. Como o carro já tem um tempinho, seu rendimento fica bastante atrás dos veículos modernos. E não adianta querer forçá-lo pois isso só prejudicará ainda mais o carro, aumentando a quantidade de manutenções e jogando os gastos nas alturas. Portanto, tenha paciência e vá com calma. Carros antigos são para serem curtidos.

E quem não gosta de ver o possante limpinho e bem cuidado, não é mesmo? Porém, é preciso ter cuidado para não ficar limpando demais, ou da maneira incorreta. A pintura dos veículos antigos, quando original, não tem a mesma tecnologia das pinturas atuais e acaba suportando menos elementos externos. Boa parte da mágica de ter um veículo vintage é viajar no tempo toda vez que você o vir e para que a experiência seja sempre incrível, mantenha-o com uma boa aparência: lave e lustre o carro, fazendo retoques periódicos na pintura para que ela fique preservada e brilhante. Esse cuidado vai além de ter uma verdadeira obra de arte na garagem: caso você opte por vendê-lo, tenha certeza de que a conservação externa aumentará o valor do veículo. O cuidado com o interior do seu carro antigo é tão importante quanto o cuidado com o exterior. Você mesmo pode se responsabilizar por alguns cuidados. Por exemplo: é comum que os carros antigos de colecionador tenham bancos de couro, que precisam ser limpos e hidratados periodicamente. Isso, você pode fazer em casa. A limpeza pesada, entretanto, pode ser feita pela nossa equipe da Barros Car Services. Outro cuidado importante é, após lavar o veículo, sempre sair com ele para um passeio para garantir que não fique água ou produtos químicos acumulados em frestas ou peças internas. Isso vai garantir uma durabilidade muito maior.


Carros antigos não depreciam como os zero-quilômetro. Pelo contrário: a tendência é de que haja valorização com o passar do tempo. Mas esse cenário varia bastante de acordo com fatores econômicos ou com o modelo do veículo. Ademais, há os custos de propriedade e de manutenção. Portanto, a compra visando unicamente a obtenção de lucro pode não compensar.

Para quem não sabia, é muito difícil conseguir um seguro para um veículo antigo pelo alto valor que pode alcançar e pela dificuldade de achar peças. Aliás, para quem é apaixonado, ter uma indenização do valor do automóvel nem é o mais importante. O valor sentimental é muito maior do que qualquer quantia de dinheiro. Afinal, foram horas e horas investidas em cuidar e restaurar o carro para correr qualquer tipo de risco.


Nesse caso, a solução mais adequada para garantir a segurança do seu bem valioso 24 horas por dia é um rastreador que permita o monitoramento online via aplicativo. Assim você pode acompanhar cada movimentação. Procure a Barros Car Services, nossos parceiros ficarão felizes em lhes ajudar no monitoramento do seu carro.

Depois de todo o trabalhão para conseguir adquirir o carro dos seus sonhos, ele precisa estar em boas mãos.

Escrito por: Juliana Barros
28/09/2020

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s